Educação em tempo das tribos

No terceiro milênio reconhecemo-nos em diversas tribos urbanas e também rurais, virtuais e presenciais, na convergência de recursos e situações sociais, culturais e linguísticas. A Índia, como o Brasil, é um país rico em tribos. As diversas línguas faladas por elas (na Índia são reconhecidas 20 como oficiais) e suas experiências educacionais ocorrem além dos muros da escola ou da Internet. Podemos pensar nas experiências no mundo digital: a Academia Kahn e a proposta de Sugata Mitra, entre outras, as quais vêm despertando interesse entre educadores do mundo inteiro, tanto pelas metodologias de aprendizagem quanto pelas propostas pedagógicas. O que destacamos hoje é a educação tribal na Índia, no âmbito rural, que gera curiosidade. Ao chegarmos à Índia, partindo de São Paulo com a finalidade de conhecer este país e participar do World Social Fórum (Mumbai, 16 a 21 de Janeiro de 2004), aproveitamos para conhecer o Prof. Mahendra e a experiência de formação de professores para a alfabetização no estado de Orissa. Em diálogo com a proposta de Paulo Freire, e com as próprias dinâmicas de socialização  e aprendizagem das tribos, ele inicia reconhecendo os saberes tribais, tradicionais, orais e gráficos, desvendando a própria cultura. Como em círculos de cultura, abre-se um território para uma compreensão profunda, mais aberta de si mesmos e do mundo. Não se trata de aplicar uma metodologia ocidental, mas de buscar ‘descolonizar a mente’ de professores e educandos que buscam na formação mobilizar a comunidade e suas próprias percepções para transformar e inovar com conhecimentos outros. Em 2017, ao regressarmos a esse belo país, para participar da First Biennial IACLSC International Conference Post Modern Nation-State and Nationalism: Citizenship, History and Public Sphere (Gujarat, Gandhinagar), ficamos curiosos por saber sobre o andamento de seu trabalho, assim como sobre aquela proposta original, o que fica registrado, em parte, na seguinte entrevista.

Nota | Esse post foi publicado em Pedagogia da virtualidade. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s