Rede-instalação pedagógica e círculo de cultura virtual “Paulo Freire na Educação Superior”

Pedagogia da virtualidade _ EventosA Rede-instalação Pedagógica Paulo Freire e a Educação Superior combina, na área de educação, duas iniciativas contemporâneas: uma que vem do campo das tecnologias da informação e da comunicação, as redes sociais, e outra que deriva do campo das artes, com as “instalações” realizadas por artistas nas exposições e feiras de cultura. Ademais, não se trata de qualquer pedagogia, mas da Pedagogia Emancipadora desenvolvida por Paulo Freire (1921-1997); a Rede-Instalação apresenta um tema gerador, “Paulo Freire e a Educação Superior”, a ser desenvolvido com os participantes por meio de um Círculo de Cultura Virtual.

O mencionado Educador Brasileiro é mundialmente conhecido por seus trabalhos na Educação de Adultos e desenvolveu, também, reflexões atualíssimas sobre a Educação Superior e os intelectuais progressistas. A equipe de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Educação  e do Programa de Gestão e Práticas Educacionais (, vem resgatando e desenvolvendo, no interior da Rede Ibero-Americana de Investigação em Políticas Educativas, por meio do projeto “Marco Interuniversitário de Políticas de Inclusão e Coesão Social no Ensino Superior” , as dimensões e os impactos da Pedagogia Freiriana na Educação Superior Brasileira.

Na Educação Superior, a Pedagogia de Paulo Freire não abre mão de uma palavra, de um tema ou de um contexto gerador, dependendo do nível em que se trabalha: trata-se do tema gerador “Paulo Freire e a Educação Superior”. No Círculo de Cultura –em rede virtual –, os participantes são protagonistas podendo interferir, fazer reflexões analíticas e/ou críticas, apresentar propostas, aportar sugestões e anexar documentos. Integrando o IV Seminário Internacional de Educação – cujo tema é o próprio tema gerador mencionado-, a Rede-Instalação, proporciona, em tempo real, o debate para uma população, nacional e/ou internacional, que acessa as redes midiáticas e que, talvez, só tenham acesso ao evento por meio delas, permitindo-lhes acompanhar e participar online do desenrolar do evento, interferindo pelo recurso de linguagens combinadas (escrita, fotográfica etc.), por meio de redes sociais, do blog, do twitter, do vimeo e de outras mídias. O acesso inicial será a partir do blog https://pedagogiadavirtualidade.wordpress.com/ É uma experiência única de educadores e público interessado, como “tuiteiros” e “blogueiros”, vivendo o processo de ensino-aprendizagem, ou melhor, a “dodiscência”, como dizia Paulo Freire, na forma de Círculo de Cultura Virtual podendo acompanhar e cobrir o seminário durante os dias de sua realização (5 a 7 de novembro de 2013) e, mesmo após sua realização, contribuir para o aperfeiçoamento das futuras edições do evento.

Sinta-se convidado a participar acessando este blog nos dias 5 a 7 de novembro de 2013.

Dia 5/11/13  – 19:00 (horário de Brasília) – Abertura Oficial

Dia 6 e 7/11/13 – 9:00 – 12:00 – 14:00 – 17:30 (ver programação do seminário)

 A Abertura será transmitida pelo IPF ao vivo, via Internet, a partir das 19 horas (horário local de Brasília/DF), pelo endereço: http://youtu.be/fy9atUG0i2U

“busca-se no círculo de cultura, peça fundamental no movimento de educação popular, reunir um coordenador a algumas dezenas de homens do povo no trabalho comum pela conquista da linguagem. O coordenador, quase sempre um jovem, sabe que não exerce as funções de “professor” e que o diálogo é condição essencial de sua tarefa, “a de coordenar, jamais influir ou impor”.(Freire, EPL, 1965, 11)
Esse post foi publicado em Educação em rede uma visão emancipadora. Bookmark o link permanente.

35 respostas para Rede-instalação pedagógica e círculo de cultura virtual “Paulo Freire na Educação Superior”

  1. Marisa Soares disse:

    Considero esta notícia muito importante, porque uma das responsabilidades sociais da universidade é a socialização do conhecimento e de suas produções de conhecimento, a partir de sua comunidade local e ampliar para as demais comunidades. Com a instalação pedagógica em rede, teremos um excelente exemplo de democratização, com vistas ao pensamento de Paulo Freire.

    Marisa.

    • marvi2012 disse:

      Olá, Marisa!
      As propostas estão exatamente aí: levantar a necessidade de expandir o pensamento de Paulo Freire – até há pouco, contido dentro das fronteiras da educação básica – para o ensino superior. Não há por que deixá-lo à parte nas discussões do ensino superior.
      Hoje, pudemos ver algumas colocações interessantes acerca disto através das comunicações e pôsteres apresentados no Seminário (os textos dos mesmos estão disponibilizados no website do evento: IV Seminário Internacional de Educação da UNINOVE.
      Abraços!
      Marcos

      • Daniela Albertin disse:

        Paulo Freire possui, dentre outras características, a voz da atualidade da educação de nossos tempos, até então lembrado no ciclo básico e agora, mais do que nunca, discutido na educação superior através deste Encontro de Reflexão proporcionado pela UNINOVE. Que excelente iniciativa de todos os envolvidos!

      • marvi2012 disse:

        Daniela, acredito que a relação que temos com o nosso tempo, nos coloca na difícil situação de ser contemporâneos das tensões de uma sociedade capitalista que nos provoca a continuar procurando uma educação mais humanitária, com justiça social…o círculo de certa maneira é uma contribuição para isso…bj. Margarita

  2. marvi2012 disse:

    Uma das finalidades do Seminário é editar e divulgar os manuscritos fac-similados da Pedagogia do oprimido, de Paulo Freire, para que possa servir de matriz para as futuras edições da obra. Lembrando que a Pedagogia do Oprimido foi publicada em 1970 (New York: Herder & Herder) e que o manuscrito em português é de 1968.

  3. silvana gondim disse:

    “Daí, então, que uma das minhas preocupações centrais deva ser a de procurar a aproximação maior entre o que digo e o que faço, entre o que pareço ser e o que realmente estou sendo”.
    Paulo Freire, Pedagogia do Oprimido-pag.108. Brilhante iniciativa este contato virtual com as questões da prática pedagógica, tendo, Paulo Freire, como objeto de estudo e aprendizagem na Educação Superior.

  4. Susana González disse:

    Muchas gracias, se vé interesante un Circulo de Cultura Virtual. Permite una comunicación rápida y directa con colegas de otros países.
    Un abrazo, Susana González

  5. bazril disse:

    Entrando en el círculo…. Azril Bacal, de Uppsala, Suecia,
    Queridos amig@s,
    Ya que no puedo estar con vosotros en persona, les comento un trabajo reciente que trata de un proyecto muy sugestivo de educacion popular en red de JAK, un banco cooperativo sueco sin intereses, propiedad de sus miembros y al mismo tiempo un movimiento popular por la justicia econòmica.

    A mi humilde entender, se trata del proyecto de educacion y cultura popular sueco màs interesante y vigoroso en este momento en Suecia..

    Espero sea de interes para los participantes del IV Seminario Internacional de Educaciòn “Paulo Freire y la Educaciòn Superior” del 5-7 Noviembre 2013, en Sao Paulo, en el àmbito del “cìrculo de cultura virtual: rede – instalacòn pedagògica”.

    Les presento nuestra experiencia JAK ques es una cooperativa bancaria con características organizacionales peculiares que evaden una categorización convencional. . combina y articula varias modalidades de organizacionales, en un rango que cubre de lo formal (al acatar las normas bancarias y de las organizaciones cooperativas) a lo informal (al poseer atributos asociados con los movimientos y redes sociales), por tener una dinámica horizontal (democracia organizacional), valores de equidad e igualdad social, solidaridad, participación y auto-gestión.
    La capacitación y formación permanente de los miembros de JAK, la organización, implementación y evaluación de las actividades pedagógicas de JAK siguen las normas y praxis de la educación popular sueca, con estrategias pedagógicas que también hace el uso de los medios virtuales. La educación popular sueca constituye uno de los pilares del “modelo de bienestar social popular sueco”, a través de la cual los movimientos populares, sociales y laborales lograron crear un sistema de capacitación nacional paralelo al sector educacional convencional, con una influencia marcada de los “círculos de cultura” freireanos desde 1974, que incluye de los círculos de estudio hasta las universidades populares (ver Bacal, 1990).

    • Márcia Toledo disse:

      Bazril,

      Seja benvindo ao Círculo de Cultura Virtual. Muito interessante para nós conhecermos este projeto de uma agência econômica com interesse e apoio na educação popular.
      Gostaria de conhecer sobre as estratégias pedagógicas com o uso dos meios virtuais, principalmente de um país tão diferente do Brasil. Atualmente, pesquiso sobre formação de professores a distância e os meios tecnológicos na educação.
      Que possamos trocar ideias e projetos na proposta da Pedagogia Freireana.

  6. Nira May disse:

    Hola! Buen dia!
    Si bien el español es mi lengua de nacimiento no suelo escribir y ya hace 40 anios estoy en Israel. Pido disculpas por mis errores de antemano. Yo soy profesora en Achva College of Education Israel, en la periferia, y su principal objetivo es preparar maestros en diferentes disciplinas y para diferentes edades. También espero que √ sea de interes de los participantes del IV Seminario Internacional de Educaciòn “Paulo Freire y la Educación Superior” – “cìrculo de cultura virtual: rede – instalacòn pedagógica”.

    En el 2013 hemos levantado un proyecto especial “Preparacion de maestros para jardin de infantes, preecolares, de acuerdo con la teoria Critica-Dialogica-Politica de Paulo Freire” com un grupo de egresados que ya obtuvieron titulo de B.A, 22 jovenes, de ambos sexos, pertenecientes al movimiento juvenil Dror Israel. Este es un movimiento de izquierda zionista, su objetivo politico mas importatante es dar Educacion Politica a niños y a jovenes en las diferentes zonas del pais en base a una ideologia socialista-humanista y Critica. Los mas adultos del movimiento estan en edad de 30 anios en adelante, viven en comunidades autonomas en las ciudades cuya organizacion es similar a la del kibutz. Ellos mismos estudian constantemente en forma autodidacta en grupos (educacion no formal) y tambien en grupos que se organizan en diferentes Educational Colleges, como en el nuestro, que acepten sus condiciones para obtener titulos en Educacion que les permita introducirse y tomar parte en la educacion formal, escuelas, colegios secundarios y ahora tambien jardines de infantes. Es una experiencia de educación superior que se pretende freireana con profesores de la educación infantil.

    Su lema es muy parecido al de Freire “La educación no cambia el mundo, cambia a las personas que van a cambiar el mundo” (P.F)
    Les cuento que he traducido el libro de Freire “Maestra si tia no”, y en este momento está en revisión y redacción y este año saldrá a luz. La editora es la del movimiento juvenil Dror Israel, tenemos en mente traducir varios libros de Freire en serie.
    Con aprecio,

    • mrpenteado disse:

      Hola, Nira!

      Es emocionante ver el reflejo de las ideas de Paulo Freire fuera de Brasil. Las experiencias de educación popular, y sobre todo liberadora, son de uso universal. Cualquier maestro que se ha comprometido a la creación de una sociedad libertaria debe abandonar las prácticas tradicionales, tecnicistas y bancárias (según la clasificación de Paulo Freire).

      Esperamos que nuestra contribución en este círculo virtual sea útil para usted y refuerzen el compromiso de todos nosotros en la transformación de la educación a través de la creación de la práctica liberadora de autonomía.

      Abrazos y shalom a los hermanos de Israel!

    • Márcia Toledo disse:

      Nira,
      Fiquei surpresa e muito interessada em saber mais sobre o Projeto de Formação de Docentes da Educação Infantil na perspectiva de uma Pedagogia Freireana. Os professores formados neste modelo, tem espaço para trabalhar na escola pública de forma autônoma? Os gestores das escolas que recebem os professores formados no modelo de uma pedagogia crítica e dialógica, também são oriundos desta formação? A comunidade também participa da gestão de forma democrática?
      Creio que sejam muitas questões, porém tenho interesse no projeto por ser professora do ensino superior e trabalhar com formação de professores na alfabetização.
      Com o seu relato, confirmo a esperança de uma escola libertária, dialógica e sobretudo humanista.

  7. Pingback: Seminário Internacional de Educação da Uninove: manuscritos de “Pedagogia do Oprimido” chegam ao Brasil | Instituto Paulo Freire

  8. Lilians Mirtha López disse:

    Título: FILOSOFAR. Praxis dialógicas en la Universidad: un cierto Lugar de “reinvención social”.
    Autor-es: Ps. – Lic. Lilians Mirtha López . Educadores-as IPF.
    Institución: Instituto de investigaciones en Cs.Sociales. Ética y prácticas alternativas Paulo Freire. Facultad de Derecho. UNR.
    E mail catedratres@yahoo.com.ar catedratres3@gmail.com

    Resumen: “Las experiencias y las prácticas no pueden ser importadas ni exportadas… Enfocar críticamente la práctica y la experiencia de los otros es comprender la validez de los factores sociales, políticos, históricos, culturales y económicos relativos a la práctica y experiencia que se han de reinventar.” Paulo Freire
    Aún, con la más distraída de las miradas a nuestro mundo cercano y lejano, en retrospectiva histórica del Siglo pasado y en la contemporaneidad del siglo XXI, nos impactan las situaciones de violencia que se multiplican y prevalecen en la destrucción de la vida en todos sus niveles y formas: guerras y genocidios, arrasamiento de pueblos, culturas. Escenario del ordenamiento (global) político cultural donde las connivencias sociales de alto riesgo deniegan el ejercicio de derechos “conquistados” y nos interpela con la multiplicación de pobrezas hasta la pasivización y desfiliaciones de jóvenes – semejantes y diferentes – con disímiles espacios de acceso al “bien-estar”. Estas pauperizaciones nos restan y median hasta hermanarnos con tantos otros pueblos en Latino América .Discriminaciones cotidianas devienen en prácticas thanáticas materiales y simbólicas en espacios/instituciones donde nos hacemos HUMANOS. Búsqueda de la libertad y el miedo a perderla. Esa tensión singular, movimiento que implica el cuidado engendrado en la contingencia de nuestra comunicación, constituye un enlace que puede crear el encuentro / “entre” / algo, del diálogo. ¿Qué mandatos recaen sobre la Educación como llave de acceso al conocimiento y ejercicio de los demás derechos? Una pedagogía de la Pregunta , en el marco de una Metodología participativa nos permite rescatar categorías de análisis y en articulaciones dialógicas hacer Lugar en el “intersticio” / cierta recreación “entre” educadores-as educandos, donde pensar conlleva poner en cuestión la propia praxis educativa universitaria. El trabajo de Filosofar problematizando texto en contexto abre una búsqueda significativa en el ejercicio cotidiano de otra gestión de poder en la construcción epistémica vinculante, resignificaciones hacia la “reinvención social” .Opción metodológica donde va implícito el rescate de identidades/la valoración de saberes populares no instituídos /la recuperación del sentido de alteridad. Esta problematización nos orienta hacia la construcción de perfiles profesionales críticos. Crítica, que deviene de no escindir la “Lectura del Mundo de la Lectura de la Palabra” (FREIRE, P 1990) Un comprender hasta la condición misma de recrearnos humanos.

    Palabras clave: Orden Global. Praxis educativas. Dialogicidad. ”Reinvención social”.

    • Margarita disse:

      Hola Lilians y compañeros de Instituto de investigaciones Paulo Freire, de Argentina, Me parece un proyecto muy importante el de ustedes ya que busca en la filosofía de Paulo Freire la reinvención social de la Universidad.
      De cierta manera, nuestra investigación en el proyecto Riaipe (Alfa3) y Observatorio de la Educación están construyendo elementos de análisis para una propuesta de Universidad popular. Específicamente, estes proyectos estudian las universidades nuevas, creadas recientemente en Brasil, com las personas del interior que no tienen acceso a los grandes centros urbanos para realizar educación superior, entre otras finalidades.

      Como ustedes dicen: “Las experiencias y las prácticas no pueden ser importadas ni exportadas”… y menos transnacionalizadas, por eso la necesidad de trabajar en pro de la ciudadanía planetaria (Gadotti) o global, trabajar por la democracia cognitiva omnilateral (Romao)
      Con relación a la violencia, aquí tenemos movimientos que están siendo criminalizados injustamente, no obstante consideremos , por otro lado, que se ha a generado un grado de violencia que no ayuda al país pues el miedo no es bueno ni en la propia universidad. (Freire/Shor. Miedo o osadía?) . Es de ahí que nos preguntamos: por la educación liberadora, por los maestros que se convierten en educadores liberadores después de mucha lucha; por las transformaciones necesarias de los alumnos para eso ocurrir, por los miedos, desafíos, peligros y potencialidades de un movimiento de transformación. En el contexto de la educación dialógica, acredito que como investigadores, es bueno, como ustedes lo plantean, hacer enlaces con nuestras problemáticas latinoamericana para una subjetividad democrática , para una Pedagogía de la Pregunta (Freire/Faundez), en el marco de una Metodología participativa que nos permita trabajar con categorías de análisis y en articulaciones dialógicas hacer Considero como ustedes que es en el “intersticio” donde se genera cierta recreación “entre” educadores-as educandos, donde pensar conlleva poner en cuestión la propia praxis educativa universitaria.
      Um abraço circular, Margarita.

  9. silvana gondim disse:

    Muita emoção hoje vendo a obra original do livro Pedagogia do Oprimido!!! Foi lindo, muito emocionante e de uma nobreza inestimável e inesquecível. O filho de Paulo Freire, lendo uma carta original que foi escrita para o Ministro da agricultura do Chile, o mesmo que deu abrigo a Paulo Freire, na época da ditadura. Foi para mim um momento rico, em emoções, conhecimento, aprendizagem e certificação que o lugar da educação, é o melhor lugar do mundo, AQUI E AGORA!!!!!! “Uma das tarefas mais importantes da prática educativa -crítica é propiciar as condições em que os educandos em suas relações uns com os outros com o professor ou a professora ensaiam a experiência profunda de assumir-se. Assumir-se como ser pensante, comunicante, transformador, criador, realizador de sonhos…” Paulo Freire (1999) . Pedagogia da Autonomia. Hoje foi um dia especial, aproveito para agradecer a todos que participaram e a todos da Uninove que tornaram possível o Evento de Hoje, o Seminário Internacional Paulo Freire, Obrigada! Parabéns!!!!

    • Olá Silvana,
      Realmente o seminário está muito emocionante. A troca de conhecimentos segue no segundo dia. Estamos no finalzinho do segundo dia, e a impressão é de que, quando mais se debate, mais renasce a esperança de uma educação inclusiva e para todos, também no ensino superior.
      Abraços,
      Maria Joseneide

  10. pvirtual disse:

    Hoje 6 de nov a mesa comeou muito bem… agora |Walter Garcia esta falando!!

  11. marvi2012 disse:

    Ontem a Conferência Magna “A Reforma Agrária no Chile e a Educação dos Camponeses”Coordenação oferecida por Chonchol foi significativa para a retomada de Freire

    para logo participar da doação do Manuscrito da Pedagogia do oprimido Cerimônia de Obliteração de documentos Lançamento do Livro do Manuscrito.
    Hoje, 6 de novembro estamos na mesa Paulo Freire e a Universidade Popular , com a brilhante participacao de José Eustáquio Romão (UNINOVE -­‐ Brasil), Carlos Alberto Torres (UCLA – EUA), Moacir Gadotti (IPF-­‐USP – Brasil), Walter Esteves Garcia (CNPq – Brasil) com a coordenacao de Jason Ferreira Mafra (UNINOVE – Brasil)
    esperem fotos e contem o que acharam das atividades de ontem
    Abracos
    Margarita

  12. ,, disse:

    Destaca-se o conceito de mediatização e não o de mediação.

  13. maria lucia disse:

    Essa primeira mesa “Paulo Freire e a Universidade Popular” tivemos falas importantes porque os palestrantes convocaram suas memorias da convivencia com Paulo Freire e com leitura critica desuas obras. Gadoti fala da universidade popular e a mercantilizacao do ensino superior. Garcia nos contou sobre sua coversa com Freire onde o mesmo refletia sobre sua realacao com a Universidade. Torres fala sobre as bases do pensamento de Freire ao se aproximar mais do pensamento de Habermas do que Marx. Utilizou com exemplo debates com Freire sobre conceito de alienacao. Romao comecou provocativo falando sobre a necessidade de se reiventar o pensamento de Paulo Freire.
    Teve inicio a fase de debates…

  14. maria lucia disse:

    “O movimento social e a universidade nao sao dicotomicos. Os dois podem se colocar a disposicao da aprendizagem como Paulo Freire nos ensina. Esse processo de dialogo que constroi uma sintese. Fora do dialogo so a barbarie” disse Jose E Romao.

  15. maria lucia disse:

    Lancamento da Revista Lusofona, numero 24, com tema Paulo Freire e a Educacao Superior.Editado pelos professores Eduardo e Manuel Tavares. Este e o decimo ano da revista internacional editada pela Universidade Lusofona. Impressao no Brasil e Portugal. Este numero esta online no site da revista.

  16. maria lucia disse:

    Inicio da mesa ll- Programa Marco Interuniversitario para una Politica de Equidad e y Cohesión Social en la Educación Superior(RIAIPE3): Desafios y Perspectiva, com os professores Antonio Teodoro, Silvia Llomovatte, Boris Tristá, Armando Santuario, Alejandra Montané e Ana Benavente.

    • adriano salmar nogueira e taveira disse:

      CURIOSO…pergunto ‘a Maria Lucia: ese equidad y cohesión social (que hablan los del proyecto RIAIPE) comentaram algo de nossa politica “caseira”?. Tô pensando nas politicas de reequilibrio (tipo COTA na universidade, são politicas que têm suporte num Estatuto da Igualdade Racial). Mencionaram algo?. grato, viu.prof. adriano salmar

      • maria lucia disse:

        mestre Adriano, nenhuma fala nesta mesa ll abordou diretamente a experiencia brasileira. Mas, a revista Lusofona lançada no inicio da tarde, tem um artigo da professora Nilma Lino Gomes. Mas, percebi em diversos momentos tema abordado pelo vies da inclusao social, contextualizado na questao do acesso ao ensino superior.

  17. adriano salmar nogueira e taveira disse:

    Estamos quase ao final do segundo dia de seminario.Paulo Freire e a educação superior. Estou lendo ‘as varias contribuições aqui colocadas. Fui lendo e, tentando alguma sintese,.
    anotei alguns topicos: (1) DEMOCRATIZAR. Educação politiza e…., se politiza “legal” a educação deve democratizar. Parece-me que estamos compreendendo a Paulo, Educação era (para ele) ato de conhecimento em interações “mundanas”. A Marisa e a Nira May contribuiram nesse sentido…..(2) MOVIMENTO SOCIAL. Nosso interlocutor A.Bacal, da Suecia, mencionou sistema nacional de educação, paralelo e simultaneo ao sistema convencional. Tentei entender esses suecos:- seria um facebook? Menciona ele um facebook em que os conteudos são postados pelos movimentos populares?. (3 ) ORDEM GLOBAL. Tambem foi comentado que estamos globalizados. Eu gostaria de colocar aqui um sinonimo: PLANETARIZAR. Estar em sintonia com o planeta!, seus fluxos, seus movimentos, ciclos e remanejamentos. Compreendo que a sintonia com o planeta inclui “na pauta” das ações e dos desejos aquela pulsação — tipo CArTA DA TERRA, ou tipo AGENDA 21. Algum topico mais?. .prof. adriano salmar nogueira e taveira.
    ps.: GOSTEI DE VARIAS FOTOS.. REUNEM PESSOAS CUJO ENCONTRO (OU REENCONTRO) E SIMBOLICO. GOSTEI

    • Querido professor Adriano, concordo com a expressão planetarização, que para mim significa o sentimento de pertença que temos a partir de uma territorialidade que nos faz humanos.
      Nossa consciência do inacabamento e da inconclusão (que nos diz Paulo Freire) não é senão nossa busca pela justiça social, mais um tópico que conversa com os citados por você.

  18. Nos bastidores do Seminário Internacional Paulo Freire, o clima de confraternização, trocas e esperanças são expressões dos participantes que se encontram para celebrar a esperança de uma educação transformadora. As trocas de conhecimentos e experiências possibilitam novos desafios, novas possibilidades. Muito legal!
    O blog pedagogia da virtualidade está de parabéns pela cobertura.
    Abraços,
    Maria Joseneide

  19. É possível a utopia do ensino superior para todas as pessoas??? Essa foi a pergunta que o Professor Jason Mafra fazia para a mesa agora no finalzinho do segundo dia do Seminário Paulo Freire. Ao mesmo tempo que era uma pergunta, era também uma angustia, esperança, não só para o professor, mas para todos que estão aqui.
    Maria Joseneide

    • mrpenteado disse:

      Olá, Maria Josineide!
      Essa inquietação do professor Jason é a mesma que nos move e que move nosso Seminário. A utopia apresentada só será útil se for centrada em propostas igualitárias (no que tange aos direitos de acesso e a qualidade).
      Não adianta ter um acesso universal à educação superior sem o compromisso com a qualidade e a emancipação dos educandos. A construção de um pensamento crítico.
      Abraços!

  20. Margarita disse:

    car@s participantes, hoje é o último dia do Seminário mas a rede – instalação (blog) continua, e como disse o prof. Adriano, estamos tentando alguma “sintese”, isto e, buscar e perceber QUAIS EIXOS COMUNS ou quais tópicos seriam mais frequentes?. O trabalho de sintese busca expor articulações entre os varios comentarios. Sintetizar e perceber articulações requer leitura atenta a todos as expressoes aqui postadas…entre no círculo deixe suas impressões ..
    Um abraço circular,
    Margarita

  21. kelly disse:

    Durante a mesa Dialogos possíveis entre Paulo Freire e pensadores contemporâneos sobre educação superior, a Profa. Dra. Anamaría Egaña da Universidade de Santiago iniciou sua fala reportando alguns conceitos de Paulo Freire
    * Pedagogia da esperança
    *Pedagagia da pergunta
    *Inclusão e diversidade

    Em relação ao conceito de práxis afirmou que de acordo com Paulo Freire não existe uma reflexão sem uma ação; a educação esta comprometida com a práxis e esta por sua vez compremetida com a transformação do mundo.
    Ressaltou que a ciência e tecnologia também podem ser compreendidas como instrumentos de transformação no mundo.
    Logo após destacou aspectos da educação superior no Chile e desafios a serem enfrentados como:
    -aumentar a equidade
    -melhorar a qualidade de ensino
    -melhorar o sistema financeiro
    -assegurar o direito a universidade pública e gratuita.
    Kelly

  22. elianeguerriero disse:

    A mesa IV “Diálogos possíveis entre Paulo Freire e pensadores contemporâneos sobre Educação Superior” trouxe importantes pesquisadores à discussão. Anamaria Baraona (USACH – Chile) apresentou a experiência da Universidad de Santiago de Chile que enfrenta a não perpetuação do modelo mercadológico de Ensino Superior, a partir das ideias de Paulo Freire. Mónica Pini (UNSAM – Argentina) expôs a ideia de alfabetização crítica na universidade – “investigação, docência e extensão não são neutros”. Manuela Guilherme (Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias – Portugal) exibiu “Diálogo intercultural entre Freire e Dewey: o sul e o norte nas matrizes pós-coloniais das Américas”, destacando diferenças e pontos comuns em diversos aspectos entre os pensadores. Por fim, José Beltrán (UValencia – Espanha) explanou seu texto sobre as relações entre Freire e Heidegger, culminando numa provocação de transformar a questão da “palavra geradora” do método Paulo Freire em patrimônio imaterial, aceita pelo Professor Dr. Jason Ferreira Mafra em nome dos programas de pós-graduação em Educação da Uninove.

  23. edusolucao disse:

    Durante o Primeiro dia do evento o Prof. Lutgardes Freire recebeu o Manuscrito Original do Livro Pedagogia do Oprimido das mãos do Prof. Jacques Chonchol (Chile), o Prof. Lutgardes é filho do maior Pensador e escritor da área de Educação o Paulo Freire. Foi muito emocionante eu recomendo a todos esses eventos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s