Avaliação Institucional

Diego Mubarack de Melo

No âmbito mundial, a verificação da qualidade está presente em praticamente todos os setores de extração, produção e prestação de serviços. Com a preocupação de um mercado globalizado, a construção de marcas fortes, com presença mundial, as instituições (sejam elas financeiras, educacionais ou de produção) desenvolvem padrões de qualidade para minimizar o custo, ampliar o lucro e atrair mais consumidores.

A avaliação institucional é uma atividade realizada sistematicamente no mundo corporativo para verificar a qualidade do produto fabricado ou do serviço prestado mediante rigorosos padrões exigidos pelos institutos responsáveis e pelos consumidores. A qualidade de um produto ou serviço pode elevar ou destruir uma empresa, pois é associada diretamente à imagem e a marca da empresa.

A avaliação institucional, por vezes, é realizada para maximizar o lucro da empresa, melhorar a imagem junto ao consumidor e oferecer outros produtos ou serviços diferenciados da concorrente. Para o setor administrativo, a avaliação institucional é a principal atividade para levantar os pontos fortes, que deverão ser explorados e fortalecidos.

Também é necessário identificar os pontos fracos, para traçar estratégias e metas de curto, médio ou longo prazo para torna-los favoráveis ao desenvolvimento da empresa. No Brasil, indústrias e comércios fazem uso das Certificações ISO 9000 para associar a imagem/marca de sua empresa à qualidade. A Certificação ISO abrange diversos parâmetros de qualidade e segurança nos mais diversos setores industriais. Cada variação na unidade da numeração indica um índice de qualidade específico, por exemplo, ISO 9001 é especificamente para qualidade de prestação de serviços/atendimento.

Na educação, a principal mensuração de qualidade está no serviço oferecido, ou seja, no próprio processo de ensino-aprendizagem, na qualidade da escola como uma instituição que entrega um produto intangível e de constante personalização e construção com o cliente.

A preocupação com a qualidade do ensino faz com que as escolas particulares e públicas façam investimentos em docentes qualificados, materiais didáticos próprios e estrutura física para completar todo o processo. Nas instituições de ensino superior (IES), a avaliação institucional é realizada por meio de instrumentos internos, que são desenvolvidos pelas próprias instituições, e por instrumentos externos, desenvolvidos por órgãos especializados do Governo Federal. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) é o órgão Federal responsável pela avaliação das IES através do Sistema de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e um de seus componentes é a Avaliação Institucional. Cada instituição fica responsável de proporcionar informações sobre o ensino e as condições da realidade para fazer possível a avaliação.

A avaliação institucional realizada por meio de técnicas vindas da administração pode transformar os resultados em um “negócio” educativo? Existe controvérsia neste pensamento…. A escola não vende conhecimento, não vende conteúdo, ela abre espaço para a construção deles.

A administração educacional tem incorporado instrumentos vindos da administração de empresas, que originariamente eram voltadas para o setor industrial ou financeiro –de bens e serviços. No âmbito educacional estes instrumentos estão sofrendo alterações quando observam modelos internacionais presentes neste setor.

Nessa perspectiva, vale a pena reforçar que a escola como uma “empresa educacional”, presta/oferece um serviço e vai além de qualquer outro ramo industrial ou financeiro. Seu produto é um bem maior e muito mais valioso que qualquer produto tangível produzido em uma linha de produção ou numa especulação financeira.

O conhecimento é algo que não se mede, é subjetivo e individual. O que se avalia nas IES é a estrutura delas, seus cursos, o desempenho dos estudantes (MEC/Inep) e a forma com que este serviço é oferecido.

Assim, os modelos internacionais de avaliação institucional de qualidade de serviços voltados para o ensino superior e, hoje, adaptadas para o ensino básico levam em consideração a percepção de pais e alunos quanto a prestação da educação.

As questões são:

É possível pensar a avaliação institucional na educação básica?

Um modelo de avaliação corporativo pode contribuir na melhora da qualidade da educação básica pública?

A utilização de instrumentos originários da administração, utilizadas para gerir grandes empresas e gerar folhas de pagamentos invejáveis a qualquer investidor, seria possível para transformar a escola?

Que instrumentos de avaliação da qualidade permitiriam elaborar planos e metas para um ensino básico oferecido pelos órgãos ?

O sistema das IES pode ser parâmetro para a avaliação institucional da educação básica publica e particular do Brasil?

 Referências Básicas

AVALIAÇÃO Institucional – http://www.avaliacaoinstitucional.com DIAS SOBRINHO, José. Avaliação da Educação Superior. Petrópolis: Vozes, 2000.

DIAS SOBRINHO, BALZAN, Newton César (orgs.) Avaliação Institucional – teorias e experiências. São Paulo: Cortez, 2000.

INEP – Avaliação Institucional (http://portal.inep.gov.br/superior-avaliacao_institucional)

Esse post foi publicado em Avaliação da educação, Avaliação Institucional. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s