Baleia azul ou Blue Whale game

Recentemente, circulou no whatsapp a seguinte mensagem de áudio:

“Existe no facebook um convite para entrar num jogo que, se aceito pelas crianças e adolescentes, estas têm que obrigatoriamente participar. Este jogo chama-se O desafio da baleia azul. São cinquenta desafios entre os quais há mortes, mutilações (cortes nos braços), dar balas e/ou pastilhas envenenadas para outros, assassinar o pai ou a mãe. Alguns desses desafios são secretos. É um jogo muito perigoso e termina no desafio número cinquenta que é o suicídio. Este jogo começou na Rússia, onde já houve mais de 130 suicídios de adolescentes. Em Curitiba, hoje, 19 de abril de 2017, há oito adolescentes internados, cinco com cortes, três foram encontrados a tempo, á beira do suicídio, um estava por se atirar de uma ponte, um outro, de quase 10 anos, chorava e dizia para a sua irmã ‘Não quero morrer, eu não posso morrer…’ Ele começou o jogo sem perceber o perigo… A irmã contou para a mãe deles e chegaram ao hospital com a criança quase enlouquecida. Se você entra nesse jogo não ha como sair porque eles te perseguem, perseguem a sua mãe e a sua família é ameaçada de morte, se você entrar no jogo não pode sair. Por favor, avisem a seus filhos para que não aceitem pastilhas, balas de gente estranha, que não aceitem convites do facebook, que não entrem no jogo. O jogo da Rússia já chegou ao Brasil e, em Curitiba, está um caos, a policia está alerta e empenhada em não deixar o jogo se expandir.”

O nome do jogo se refere `a baleia azul (que pode alcançar até 33 m de longitude e 130 toneladas de peso). Qual seria a relação do jogo e seus desafios com o mamífero? Será que se refere ao fenômeno das baleias encalhadas, e ser comparado a um suicídio?

O jogo é realizado sob certas regras que não se vinculam ao entretenimento ou à diversão nos sentidos conhecidos. Na mídia social, o jogo foi criado por um ex-estudante russo de psicologia que se propôs a limpar a sociedade das crianças e adolescentes ‘sem valor’. Segundo a Wikipédia, surge em 2013, e o inicio dos suicídios na Rússia em 2015. No jogo estão também os administradores/curadores que passam antecipadamente ou no mesmo dia a tarefa aos participantes.

Não acredito que seja apenas o jogo ou o curador que levem à situação de suicído. Hoje, as crianças e os jovens vivem numa sociedade globalizada “fechados em casa”, uma sociedade que da as costas aos relacionamentos entre as pessoas da família e da escola. Há menos espaços públicos e o medo cresce, especialmente nas grandes cidades. As pessoas mais próximas ficam afastadas das crianças e dos adolescentes que entram na rede e se aproximam de pessoas “desconhecidas”. A sociedade em rede, global e virtual está “aberta” a todo tipo de vínculos.

O jogo, na realidade, pode ser a gota que faltava para a criança e/ou adolescente explodir diante uma situação intolerável. Nos últimos tempos, o ciberbullying, ou assédio psicológico virtual, e vários outros modos de violência e abuso com uso de tecnologias apresentam sérios perigos para a integridade de crianças e adolescentes.

Entre os jogos mais recentes, está o de se enforcar (Choking Game): o adolescente brinca de se asfixiar e se prende a um fio até desmaiar para ganhar (e mostrar pela internet), mas, nessa “brincadeira”, pode acabar por se enforcar. O problema, acredito, está além do jogo. O problema é a falta de comunicação e de diálogo entre as pessoas, a falta de compreensão da realidade e a falta de geração de vínculos de afetividade. Vivemos numa sociedade estressada, em isolamento, em depressão. As crianças, os adolescentes e também os adultos, parecem ter dificuldade para gerar vínculos desinteressados e estão sendo marcados pelo desafeto e levados a jogos perigosos.

É evidente que os afetos e a amizade são necessários para superar a conturbada sociedade individualista. E, sair do virtual e do circulo que nos leva a jogos perigosos, pode ser difícil. Entretanto, hoje já há serviços de saúde, como o do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, entre outros, que orientam a lidar com essas situações . Estejamos atentos.

MVG

Para saber mas >>> 

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Paulo Freire: a criatividade e o gosto da aventura do espírito.

paulo freire“A pedagogia que me toca é a pedagogia que escuta, provoca e vive a difícil experiência da liberdade, reconhecendo que há uma distorção, o autoritarismo. Minha opção é por uma pedagogia livre para a liberdade, brigando contra a concepção autoritária de Estado, de sociedade… Há um sinal dos tempos, entre outros, que me assusta: a insistência com que, em nome da democracia, da liberdade e da eficácia, se vem asfixiando a própria liberdade e, por extensão a criatividade e o gosto da aventura do espírito. ”

Paulo Freire – 19 de setembro de 1921- 2 de maio de 1997.

Publicado em Pedagogia da virtualidade | Deixe um comentário

Passagem _ da tocha olímpica à educacao

IMG_1940A Tocha Olímpica na Praça da Sé foi recebida pelo padre Paolo Parisi da Paróquia Nossa Senhora da Paz (missaonspaz.org – que acolhe imigrantes e refugiados). Ele esperou e desceu as escadarias da Catedral com a tocha, e lá fomos nos até que nos perdemos no Centro Cultural Banco do Brasil, para tomar um cafezinho, depois no Solar/Casarão da Marquesa de Santos e na exposição fotográfica La Maleta Mexicana na Caixa Cultural. Ainda, entramos no Mosteiro de São Bento onde estava iniciando a Missa. A I leitura foi do Livro Gênesis: “Naqueles dias o Senhor disse a Abraão: O clamor contra Sodoma e Gomorra cresceu, e agravou-se muito seu pecado. Vou descer para verificar se as suas obras correspondem ou não ao clamor que chegou até mim”…. Continuamos, passamos pelo impostômetro, pelas ruas do centro, até o Mercado Municipal de São Paulo.

Valeu ! Lembramos um pouco da história e pensamos na realidade do País!

Como educadores ficamos pensando na mensagem do padre Parisi  de cuidar dos imigrantes e refugiados e, na noticia de El País que informou que na Alemanha “precisariam de 20.000 novos professores” para educar os refugiados. Evidentemente, continuaremos pensando e fazendo a educação possível, também no Brasil e na América Latina.

IMG_1953 IMG_1975 IMG_1985 IMG_1992 IMG_1995 IMG_2020 IMG_2021 IMG_2033 IMG_2051 IMG_2053 IMG_2054 IMG_2064 IMG_2082

 

Publicado em Pedagogia da virtualidade | 2 Comentários

Bem-vindo(a)!

O propósito deste Blog é vivenciar, experienciar a rede como caminho para a aprendizagem, é gerar um espaço de sensibilização, opiniões, discussão e compartilhamento de textos vinculados aos desafios do educar na contemporaneidade. Considerando as alterações no próprio grupo e … Continuar lendo

Galeria | Deixe um comentário

Ritmos de nuestra América: poesía, epistemología y pedagogía

Los ritmos de nuestra América producidos en la intersección : poesía, epistemología y pedagogía…

… elementos de esa tríada están presentes en el  libro del sociólogo Ricardo Romo…”que trae los ritmos latino y nuestroamericanos desde los sujetos que se movilizan con tono y ritmo propios de sus haceres, quehaceres, sentires y decires, y nos permite tejer pensamientos e imágenes de nuestra América.”

Sugerimos la lectura del libro, y para leer la reseña acceder  la Revista Brasileira de Estudos Pedagógicos >>

>>>

 

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Lições de casa. Últimos diálogos sobre educação.

Lições de casa. Últimos diálogos sobre educação.

Neste livro Paulo Freire e Sérgio Guimarães conversam sobre a educação no Brasil e apresentam breves trechos da entrevista inédita com Antônio Candido (10 Ag.1977) sobre a formação das memórias infantis e sobre toda atitude criadora como prática poética.

Um belo registro.

 

https://books.google.com.pe/books/about/Lições_de_casa.html?id=2bzNAgAAQBAJ

 

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Direito à literatura- Antônio Candido.

 

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário

Registro fotográfico de uma brasileira em Buenos Aires: o dia 6

Esta galeria contém 8 fotos.

Cláudia Almeida acredita que a fotografia tem um potencial enquanto codificação da realidade dos fatos sociais. No dia 6 de abril de 2017, hoje, ela está em Buenos Aires e registrou um  encontro com jovens, crianças e idosos que participam … Continuar lendo

Galeria | 2 Comentários

A biblioteca que nunca dorme

Na sociedade da informação e do conhecimento… existe na nossa cidade de São Paulo uma  biblioteca que nunca dorme… é bom que todos saibam que permanece aberta as 24h do dia e que utilizem seus serviços e espaços:

In the information and knowledge society…the library that never sleep, São Paulo, Brazil:

http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/cultura/bma/

Publicado em Comemoracões, Pedagogia da virtualidade | 1 Comentário

Inovação, empreendedorismo e emprego para uma vida inclusiva e sustentável

ignouO Seminário Internacional sobre desenvolvimento de competências através da Aprendizagem Eletrônica Aberta e a Distância -ODeL- terá como foco temáticas de época: as inovações, o empreendedorismo e o emprego para uma vida inclusiva e sustentável. (International Seminar on skill development through ODel – Open and Distance e-Learning).

Organizado pela Indira Gandhi National Open University, Nova Delhi, será realizado entre os dias  09-11 de março de 2017.

É mais uma oportunidade para conhecer outras experiências riquíssimas sobre aprendizagem aberta em um dos países do BRICs (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul).

Nota | Publicado em por | Deixe um comentário